quarta-feira, 26 de junho de 2013

Meu nome é Ana Paula, tenho quase 33 anos e me sinto como uma viciada em recuperação. A história, eu vou resumir porque não quero que seja longa. Fui gorda uma vida inteira. Acho que a única fase em que não estive acima do peso foi quando bebê porque nasci prematura. Mas a criança 'gordinha' transformou-se em adolescente 'obesa' e eu chego à idade adulta ostentando status de 'super obesa' - se ao menos tivessa uma tiara brilhante que acompanhasse. Ser super obesa me incomodava, mas naquele nível bem insignificante, ou eu diria que é uma voz dentro de você que você cala. Lá no fundinho grita aquela vozinha bem fraca e você não dá bola porque veja bem, você está segurando aquele hambúrguer gigante acompanhado daquelas fritas deliciosas MONSTRO e bem... vocês podem imaginar quem ganhou essa briga esses anos todos. Fato é que eu amo comer. Amo comida e muito recentemente estava amando descobrir na culinária uma desculpa para comer ainda mais. Vi muitos amigos, ex namorados, conhecidos fazendo a redução de estômago e pensei eu mesmo fazer a cirurgia várias vezes. Mas eu esbarrei na burocracia do meu plano e no meu próprio desânimo, várias vezes. As pessoas me param na rua para contar de suas experiências bem sucedidas e vendedores de Herbalife me perseguem porque convenhamos, eu daria um ótimo projeto e propaganda SE EU EMAGRASSESSE. Mas depois de 'mil e um' endócrinos, nutricionistas, projetos, remédios e caminhadas a minha situação era essa: 132 kilos e ZERO vontade de qualquer coisa. Zerinho mesmo.

Ignorem o cenário lindíssimo. Foca na modelo!

Não pretendo com isso 'xoxar' a mim mesmo. Mas quero que vocês - e eu também porque não - tenham real noção de onde estou começando, para onde quer ir e qual a minha motivação. Porque é claro, existe uma motivação e bem séria nesse momento. Em maio deste ano eu peguei dengue, uma forma até bem branda mas quando chegou meu exame de sangue o médico se assustou com a minha anemia - segundo ele assustadora mesmo - e pediu mais exames. Segundo ele eu estou pré diabética também. E o ultrassom revelou um fígado cheio de gordura - a esteatose - que segundo o próprio é causada devido a obesidade (existem outras causas mas no meu caso é a obesidade falando mesmo). E ai eu pensei enquanto ele me dizia esses resultados: PERAI, PARA TUUUUUUUUUDO! Uma coisa é ter sempre sido gorda, mas eu sempre tinha sido saudável. Entrei em pânico e num primeiro momento chorei, desmontei. Porque eu pensei: eu tô assim e é minha culpa, eu comi pra chegar nesse estado. E ai me bateu o instinto de autopreservação ou chamem do que quiserem, mas eu decidi que não seria mais vítima do meu próprio comportamento errôneo. Eu tinha que fazer algo por mim mesmo e tinha que começar já. E com a ajuda da minha super mãe que é minha melhor amiga e meu braço direito e comecei e nem faz um mês ainda, mas estou na luta para perder a gordura no fígado, para não ficar diabética e para viver melhor e mais tempo, porque eu desejo isso. E ter todos esses problemas só me acordaram para essa realidade. Então eu criei esse blog como uma espécie de diário para não me esquecer nunca e jamais disso porque quando e vejo um brigadeiro eu juro que quero esquecer. Por isso me sinto como uma ex viciada, porque pra mim está sendo UM DIA DE CADA vez e alguns dias são mais difíceis que os outros. Então esse blog é um registro, lembrete, diário e também meu canal de ajuda, minha maneira de externar o que sinto. 

Enfim, pra começar é isso! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário